20 de março de 2010

A pé do caminho.

Apesar de ser um caminho longo e estreito , por onde eu a passava ,as coisas eram bem interessantes , aparentava um daqueles contos conhecidos como Alice no pais das maravilhas , ou talvez uma contradição minha mesma.
Algo ironico , aquelas plantas cheiravam a jasmim , o caminho folhado pelas velhas folhas de outono , e se não bastava uma arvore gigantesca a minha frente , a tal jabuticabeira , em que tanto a vontade dominava  era a de subi-la até o topo , em galhos grandes e fortes e pegar a uma frutinha na ponta do mais alto galho.
Porém o tempo passou da infancia , as pelucias praticamente eram pó na estrada.
E aquele relogio que o segurava , me deixava cada vez mais confusa , não sei se era perceptivel , mas o tempo nunca passava.Era estranho , assustador , mas ele estava sem pilhas , esqueci deste grande delhate, ele só estava ali para me confortar me fazer uma compania tocante, algo que dava as horas.
Caminhando ali , coordenei meus moviventos a imaginar as belas e puras coisas da natureza.

3 comentários:

Anônimo disse...

parabenns,pela sua criativide!1

Anônimo disse...

Legal , gostei muito;

Anônimo disse...

Super criativa suas postagens ;;;

Postar um comentário

A melhor coisa da vida é ouvir uma opinião especial a qual vocês me deixam feliz .
Em cada palavra , gesto , vocês fazem sorrisos , alegrias.
Amo você ! Beijos